Momento Desabafo: A falta de sensibilidade no shopping

21 nov

Oi gente, voltei.

Como vocês sabem, estou desde o dia 09/11 de “castigo” em casa, devido a uma fratura no pé esquerdo, causada por fazer parte do trajeto de ida e volta do trabalho caminhando. Enfim, nem me lamentando ou coisa do tipo, talvez essa semana já seja liberada pelo médico.

Sábado resolvi dar uma volta no shopping novo de São Caetano do Sul, junto da minha irmã, meu cunhado e minha sobrinha. Como seria complicado andar de muletas em um local maior e cheio, tivemos a idéia de usar uma cadeira/scooter oferecida pelo local, dessas aqui:

Créditos: Seat Mobile do Brasil

No carro "de passeio"

Então comecei a reparar em algumas coisas. A primeira é a falta de respeito com o cadeirante e digo isso em atitudes bem simples. Por exemplo: meu cunhado estacionou, com a permissão do shopping, em uma vaga para pessoas de mobilidade reduzida. Eu tinha que atravessar uma “rua”, até chegar a rampa de acesso. Perfeito…. se no meio do caminho, bem onde passavam vários carros, não houvessem aquelas tartarugas de trânsito.

Vamos lembrar que essas cadeiras/scooters alcançam uma velocidade média de 08 km/h, o que já me deixou com certo medo de ser atropelada por um motorista mais distraído ou afoito. Segundo: seria melhor colocar marcações no chão que não fossem altas, sem ter espaço para o veículo em que eu estava passar sem tremer/ bater nos obstáculos. E sou cara de pau sem medo, passei por cima, mas e se fosse uma pessoa menos “aventureira”? E no caso de idosos ou deficientes visuais? Até porque não havia como alguém empurrar a cadeira para mim.

Primeira dificuldade vencida, cheguei à rampa (que na boa, mal cabia uma cadeira de rodas e um carrinho de bebê lado a lado, imaginem um em cada direção ao mesmo tempo, além de pedestres). Consegui subir com facilidade e entrei no prédio… todo com escada rolante que, claro, não comporta veículos.

Fomos ao elevador e descobrimos que se fôssemos os 5 (contando com minha sobrinha já no carrinho), não seria possível entrar mais ninguém. Poxa, kd o respeito? Da mesma forma que a escada rolante pode funcionar mais rápido e levar mais gente, o elevador também deveria, não? Além disso, o mesmo só ia para o próximo piso, sendo que o shopping possui 3 pavimentos. Pseudo-construtores, já ouviram falar de lógica? Nexo?

Cheguei no piso de cima e na hora de sair, outro caos: gente, sério, as pessoas não têm um pingo de respeito com quem anda em cadeira de rodas. Vi gente dando passagem para os carrinhos de bebê, além de sorrirem para as crianças, mas circulando desesperadamente na minha frente ou bloqueando a porta do elevador, impedindo que eu saísse.

E não falo de idosos, gestantes, outras pessoas com algum tipo de mobilidade reduzida, que precisassem daquela locomoção específica. Digo de jovens, adolescentes, casais… com escadas a 10 segundos dalí, mas preferindo esperar dois minutos, para não andarem. Ok, concordo com a liberdade de escolha, só que então respeitem quem já está no espaço!

Tirando esses casos, até que fui levando com certa facilidade, peço licença, agradeço (afinal, mammys e pappys me ensinaram a ter educação e bons modos), às vezes forço a barra, já que Semancol é algo como opcional de fábrica… aí chega o outro desafio: ser notada, mas sem receber olhares de “ah coitadinha”, porque afinal não estou doente, nem morri, só convivo com um pé temporariamente imobilizado, certo?

As pessoas andam olhando as vitrines e entre si, mas sem o bom senso de olhar para baixo e verem se não tropeçam em uma criança, um carrinho, se não atrapalham a circulação… Sou pedestre, adoro passear, mas também dirijo. Então entendo que se não quero impedir o fluxo, devo ficar na direita e facilitar a vida alheia, certo?

Errado para grande parte das pessoas. Elas enxergam o carrinho vindo, mas não saem de seus lugares. VOCÊ que se vire, se entorte, espere e passe depois, SE conseguir. Cada “esquina” dos corredores era um tormento, ninguém olha para os lados, todo mundo te ignora, te empurram e estreitam seu caminho, até você não ter como seguir.

Descobrimos que para ir ao último piso do shopping, era necessário pegar o elevador panorâmico, NO MEIO da praça de alimentação. Ok, vamos lá… e para passar pelo Mc Donald’s (nada contra a rede de fast food, só para esclarecer)? Minha sorte é que meu cunhado é tão cara de pau quanto eu, ele foi na frente, com o carrinho da bebê para abrir caminho, eu no meio e minha irmã atrás, com a filha no colo. Porque se eu fosse tentar a área onde ficam as mesas, entalaria, era estreita demais para a scooter.

Por fim, cheguei ao elevador, tendo que ser chata e rápida, cortando gente mesmo. E descubro que dos dois, somente um funciona. Hellooooo! Um equipamento um pouco maior (cabendo a cadeira, dois carrinhos de bebê e dois adultos normais), na região central da praça de alimentação, em plena noite de sábado, shopping novo, cheio, época de fim de ano… e só UM funciona? Kd a coerência?

No final deu tudo certo mas fiquei pensando que se em um shopping de classe alta, onde teoricamente tudo é mais organizado, esses “pequenos” empecilhos já são bem revoltantes, quem dirá nas ruas. Quanto será que um cadeirante, idoso, gestante sofre diariamente? Acessibilidade é mesmo só rampa (estreita) e faixas pintadas? Será que muitas vezes nós não os tratamos de forma indiferente, mesmo sem querer? E onde foi parar o bom senso, a educação e a delicadeza?

Desculpa o desabafo enorme, porém achei bem interessante contar aqui o que vi hoje (e eu sou uma pessoa que sabe o significado de respeito) , mesmo só com um pé engessado, o que milhões de pessoas vivem diariamente. Queria ouvir a opinião de vocês… já viveram algo do tipo? Ou viram? Como vocês agem?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: