SPFW Verão 2013 – O que eu achei

18 jun

Oi gente, voltei!

Mais cedo disse aqui que faria um post com algumas críticas e sugestões sobre o evento e cá estou. Depois de ir a duas edições, você começa a notar algumas coisas.

Novamente, a entrada do evento, no prédio da Bienal, Parque do Ibirapuera

Para entrar no evento, é necessário ser convidado. Eu ganhei da Melissa um ingresso para as áreas abertas, na qual o lounge deles se encontrava. Para os desfiles, você precisa de um segundo convite. Ou então, já ser selecionado diretamente para a apresentação do determinado estilista. Mas isso não permite que você veja outros desfiles ou entre em espaços fechados.

Enfim, comecemos pelos elogios:

– Banheiros: A SPFW de agora teve uma melhora muito grande nesse aspecto. As cabines estavam mais limpas, o pessoal responsável ficou lá direto e pasmem, havia até papel para secar as mãos (quem usa banheiro público sabe o quanto isso é raro);

Descanso: Na edição de fevereiro vi poucos locais para sentar, o que fazia com que as pessoas se mantivessem em um lugar e não saíssem mais de lá. Agora não, encontrei mais espaço na área de alimentação (comer de pé não dá, né?) e banquinhos espalhados. Como se anda muito na Bienal, isso ajuda;

– Maquiagem O Boticário: É impressionante o quanto as pessoas saem felizes após serem maquiadas por eles (amanhã mostro a minha, amei!). Além disso, você escolhia como queria ser maquiada. Era falar e eles faziam ali na hora. Muito bom!

– Programa da Julia Petit: A produtora musical/ blogueira apresentava um programa ao vivo diariamente, sempre conversando com pessoas interessantes da área. Para assistir, era só sentar e ficar, não precisava de nenhuma exclusividade. Isso pode ser algo a ser mantido na SPFW.

Agora, os negativos:

– Cara de pau: Sem brincadeira, cansei de ver gente na porta implorando para os seguranças deixarem entrar, produtores que encaixavam quem quisessem… Além de achar muito desagradável, muitos ali sequer sabiam o que era o evento. Isso se repetia lá dentro, pessoas iam ao lounge do Boticário só para ganhar produto, ou que ficavam esperando celebridades para tirar foto…

Filas: Não sei se foi por ter sido o último dia do evento ou se deram mais convites que o esperado, o fato é que essa edição estava bem mais cheia que a anterior. Para terem ideia, a entrada era permitida a partir das 14h, eu entrei meia hora depois e fui direto ao Boticário, agendar para ser maquiada e conhecer a nova linha. Mais de uma hora na fila depois, o único horário disponível para mim era às 19h20!

Lounges fechados: Ok, entendo a questão de exclusividade e patrocínio, mas se não havia nada demais lá dentro, por que fechar? Ainda mais no último dia… Abre para todo mundo e deixa o pessoal ser feliz, né?

– Painéis de jogos da Melissa: Minha única queixa é que o local só disponibilizava dois painéis para concorrer ao brinde (depois mostro o meu, é o do vale que ganhei no evento). Isso acabou colaborando para uma fila maior. Melissa fica a sugestão para a próxima, ok?

– Nova coleção Boticário: Havia um espaço onde os produtos da coleção de verão da Make B. ficavam expostos. Queria muito vê-los, mas desisti porque os itens estavam à disposição para todo mundo mexer. Além de juntar um monte de gente desesperada para passar os itens (sem contar minha aflição em compartilhar maquiagem), impede qualquer possibilidade de fazer  imagens. Por que não fazer um espaço assim e outro onde os itens ficam fechados, ajudando os fotógrafos ou profissionais da área?

– Ainda sobre o Boticário: Todo mundo que fazia o curso de maquiagem ou era maquiada por algum profissional da marca, recebia um kit com delineador, blush e gloss. Só que, mais uma vez, o público deve ter sido bem maior que o esperado então quando fui maquiada, ao invés de ganhar um kit, recebi um batom. Ou seja, nada do que era combinado;

– Alimentação/ Preços: Comer lá dentro é muito caro. Uma água era o mesmo preço do refrigerante: R$ 5,00. Um sanduíche de copa com vinagrete de maçã do tamanho de uma bisnaguinha: R$ 10,00. Ok, mais barato que a salada da edição anterior, vendida a R$ 21,00, mas que alimentava mais. Acho que entendi porque as modelos não comem…

Com isso, acabei não vendo nenhum desfile, nem pelo telão, o que foi uma pena já que queria muito saber o que usaremos. Acho que a SPFW podia voltar a ser o que era antes: um evento mais fechado aos profissionais da área, sem tantas celebridades ou pessoas que querem ser vistas, sabem? Senti que perdeu um pouco do intuito.

O que vocês acham das semanas de moda? Concordam com minhas opiniões? Vamos falar mais sobre isso?

PS: Eu sei, o post está imenso, mas precisava contar isso.

Anúncios

2 Respostas to “SPFW Verão 2013 – O que eu achei”

  1. OpçãoC 19/06/2012 às 20:24 #

    sabe que eu curto muito moda… estou sempre ligada nas tendencias mas sei pouco sobre o spfw e nao acompanho muito… nem posto no blog. Eu não entendo muito sobre o evento sabe… mas queria ir um dia conhecer os louges e tal.

    • Carla Jaróla 19/06/2012 às 23:49 #

      Eu não sou a pessoa mais apaixonada por moda e por isso mesmo não entendo, mas gosto muito de aprender e acho legal ver a questão da arte, a criação, como que a ideia de um estilista foi concretizada… e isso é legal nesses eventos.

      Acho que vale a pena sim, a questão é que essa última edição me pareceu meio aberta demais, sabe?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: