Monsters of Rock – Eu fui

23 out

Oi, gente! Tudo bem?

Quem está em São Paulo, ou ao menos gosta de heavy metal, já deve ter ouvido falar do Monsters of Rock, né? O festival de rock mais pesado foi criado na Inglaterra, em 1980 e teve sua primeira edição no Brasil em 1994. Nas quatro edições nacionais (1994, 1995, 1996 e 1998), passaram nomes como Viper, Angra, Dr. Sin, Raimundos, Suicidal Tendencies, Black Sabbath, Slayer, Kiss, Faith No More, Megadeth, Alice Cooper, Ozzy Osbourne, Helloween, Skid Row, Motorhead, Iron Maiden, entre outros.

Quinze anos após a última edição, o evento volta ao Brasil com dois dias de evento (dias 19 e 20 de outubro) e com Slipknot, Korn, Limp Bizkit, Aerosmith, Whitesnake, Ratt, Queensrÿche, Buckcherry, Dokken e Dr. Sin no line-up. Como fã de um bom rock, especialmente do antigo, fui no segundo dia do Monsters of Rock, para ver principalmente o Whitesnake e o Aerosmith.

Então o post de hoje é para os fãs das velharias, como eu! hahahaha

01 - Monsters

Os shows aconteceram na Arena Anhembi, que fica ao lado do Sambódromo, zona Norte de São Paulo:

02 - Monsters

Quem disse que roqueiros não podem desfilar na nossa passarela do samba? hahahaha Na verdade acho que essa área seria até melhor para festivais, porque dá para dividir em setores e as pessoas ficam mais à vontade. Sem contar que seria uma boa oportunidade de fazer uso do local, que fica vazio parte do ano.

Assim que cruzamos essa parte, me aproximei do palco:

03 - Monsters

Cheguei lá entre 14h e 14h30 e o primeiro show, do Dr. Sin, estava em andamento, por isso algumas pessoas já estavam por lá. E como na Arena Anhembi não há sombra alguma, o jeito era improvisar com bonés, toalhas, cangas e camisetas na cabeça ou torrar o cocoruto a tarde inteira… Que foi a minha opção.

Nesse dia, a ordem dos shows foi:

– Doctor Pheabes;

– Dr. Sin;

– Dokken;

– Queensrÿche;

– Buckcherry;

– Ratt;

– Whitesnake;

– Aerosmith.

Como minha intenção era ver as duas últimas, vou focar o post nelas, ok? A começar pelo Whitesnake:

04 - Monsters

Essa não foi a primeira passagem da banda pelo país, mas acho que a última foi em 2011. David Coverdale é o único membro da formação original e o vocalista e frontman dá total conta do recado:

05 - Monsters

No set list (curto, na minha opinião) estavam hits como Love Will Set You FreeLove Ain’t No Stranger, Is This Love?, “Slide It In, “Fool For Your Loving, “Here I Go AgainGive Me All Your Love, Ready an’ Willing e outras. O público cantou bem alto, participou e fez a festa com Coverdale, que caprichou nos vocais e na performance.

Como ele fez parte do Deep Purple antes de fundar o Whitesnake, foi feita uma homenagem à banda, com uma versão do clássico “Burn”, que emocionou os 30 mil presentes no evento. Gostei bastante do show, embora ache que eles poderiam ter tocado mais que as 10 músicas e os solos de guitarra, gaita e bateria foram um pouco longos demais.

A grande estrela e aguardada por todos era mesmo o Aerosmith:

06 - Monsters

Preciso falar que sempre quis ir a um show do grupo norte-americano, mas sempre que eles vinham para cá alguma coisa acontecia e eu não podia ir. Dessa vez me prometi que conseguiria, mesmo que o mundo acabasse! hahahaha E posso falar? Valeu cada minuto que esperei, cada gota de suor, cada centavo e tempo gasto. Sem sombra de dúvidas é o melhor show que vi, junto com o do titio Paul.

Steven Tyler é absurdamente talentoso e carismático, consegue conquistar o público sem dificuldade e mesmo com o relacionamento turbulento com os outros integrantes (a banda toda já brigou durante os 40 anos de história) ele e Joe Perry ainda fazem uma dupla imbatível! De emocionar mesmo!

07 - Monsters

Essa era a minha visão de um dos telões, que usava mais para ver detalhes ou as caretas do Steven Tyler. Grande parte do show acompanhei sem muito esforço em enxergar:

08 - Monsters

Foram duas horas de muito rock ‘n roll, de alta qualidade, com inúmeros hits:

Back in the Saddle
Love in an Elevator
Toys in the Attic
Oh Yeah
Pink (e nessa hora Steven Tyler joga a gaita para o publico)
Dude (Looks Like a Lady)
Rag Doll
Cryin’
Last Child
Jaded
Combination (com vocais do Joe Perry)
Eat the Rich
What it Takes
Livin’ On The Edge
I Don’t Want to Miss a Thing
No More, No More
Come Together – The Beatles (nem preciso falar que quase morri nessa hora, né?)
Mother Popcorn (cover de James Brown)/ Walk This Way

Bis:
Dream On (a essa altura já estava soluçando de tanto chorar)
Sweet Emotion

09 - Monsters

Ah, eu finalmente vi os Toxic Twins!

Ao contrário do que alguns aí ficaram falando, porque acompanharam pela TV, a plateia participou muito sim! No local onde estava todo mundo cantava e dançava bastante (ao meu lado havia um cara em transe até). Pessoas de outras vertentes do rock também curtiram (tinha um cabeludo à minha frente, que mesmo sem conhecer as letras, cantou e gostou do show). É aquela coisa, TV mostra o que quer e nem sempre transmite o que de fato acontece.

Além da própria banda, excelente por si só, tivemos algumas surpresas, como um pequeno cover de “Whole Lotta Love“, do Led Zeppelin (sabiam que Steven Tyler é fã da banda e já foi convidado a cantar com eles, mas achou que não era capaz?), além de um Joe Perry inspirado, que foi tocar guitarra na grade, junto ao povo e depois subiu no piano para tocar “Dream On”.

Acho que poderia passar horas escrevendo sobre o evento, porém ia deixar todos super cansados, né? Então separei alguns links para que vocês possam ter mais informações:

Revista Rolling Stone;

Uol/ Vírgula;

Uol;

IG;

Terra;

Folha de S. Paulo

E para vocês verem o que o rock faz com uma pessoa, olhem meu estado, lá para às 17h:

10 - Monsters

Coisa linda… Só que não! hahahaha

Anúncios

5 Respostas to “Monsters of Rock – Eu fui”

  1. lindaegraciosa 23/10/2013 às 21:49 #

    Amo o Aerosmith, daria quase tudo pra ter ido, rsrsrs..
    Amei o post.
    Beijos

    • Carla Jaróla 31/10/2013 às 23:34 #

      Obrigada!

      Quem sabe na próxima vinda você consegue ir? Vou torcer!

      Beijos!

  2. Amanda Silva 30/10/2013 às 17:43 #

    Oi! Nossa estou com DPM (Depressão pós Monsters) como eu gostei desse dia, amei todos os shows! Principalmente Quensrÿche, Buckcherry e claro Whitesnake e Aerosmith! A primeira que citei gosto tanto que entrei na igreja ou som de Silent Lucity, e claro Aerosmith que quase tive um troço quando ele contou Pink e jogou a gaita pro público!!! Foi Sensacional….agora só contando os dias pro próximo! Ótimo post e valeu por matar minha saudade de dia grandioso.

    • Carla Jaróla 31/10/2013 às 23:31 #

      Oi, Amanda! Tudo bem?

      Já estou imaginando sua entrada na igreja ao som de Silent Lucidity, deve ter sido lindo!

      Sou suspeita em falar porque adoro Aerosmith, então tive vários surtos ao ver o Steven Tyler (não consigo mais ouvir Dream On sem chorar e sem me lembrar do piano no meio da passarela, com o Joe Perry subindo nele e tocando), inclusive na hora em que ele jogou a gaita! O que foi aquilo?

      Quero muito ir em outros, adorei!

      Obrigada pela visita e opinião!

      Beijos!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Update – Livros que eu li em 2013 | Boyish 'n Girly - 30/12/2013

    […] fui ao Monsters of Rock havia acabado de ler a biografia do Steven Tyler: o Barulho na minha cabeça te incomoda?, que […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: