O que queremos para 2014?

1 jan

Oi, gente! Tudo bem?

E começou 2014! Yeeeeey! Fiquei pensando que, como diz minha avó, “o que se faz em primeiro de janeiro, se repete o ano inteiro” e né, crença de vó a gente JAMAIS discute nem contraria, resolvi que hoje vamos conversar sobre metas para o ano que se inicia.

Vocês fazem listinha de realizações? As cumpre? Chegam no final do ano e conferem? Confesso que nunca as fiz, mas a cada virada me prometo agir de forma diferente. De 2012 para 2013, coloquei na cabeça que ia desacelerar e cuidar da minha cabeça, para não me estressar tanto. E deu certo.

O mais legal disso tudo é que, como disse ontem, colhi bons frutos. O fato de pisar no freio e deixar algumas coisas entrarem por um ouvido e saírem pelo outro, fez ter mais saúde e o melhor: aumento na qualidade de vida. Acho que isso já é ótimo, não? Então para 2014 vou continuar nessa linha “saúde” e compartilhar aqui as minhas metas (ou algumas delas):

Imagem: reprodução

Imagem: reprodução

Não tenho pressa em alcançá-las, até porque grande parte delas trarão resultados em longo prazo. Só de nos decidirmos por algo e batalharmos para conquistá-lo serve como estímulo para continuarmos, não? Também não me impus nada absurdo, como ganhar na Mega Sena, vamos no que podemos.

Imagem: reprodução

Imagem: reprodução

Me exercitar. Acho que esse é um dos objetivos que mais quero para 2014. Quem me conhece sabe que sou A sedentária e odeio academia (quer dizer, o conceito de musculação, as aulas da moda, a loucura em ficar sarada e afins). Eu pretendo me mexer, cuidar da saúde.

Trabalho na frente do computador o dia todo e começo a sentir os efeitos na hora de me mexer: dores nos joelhos, pouco ar e resistência física pífia. E não posso, tenho só 30 anos, nem possuo problemas com sobrepeso, então é total resultado de ficar parada e desleixo meu.

Estou pensando em fazer pilates, retomar a yoga e talvez fazer algo voltado à dança. Mas ainda não fui ver academia, nem fiz um check-up. Como isso envolve minha segunda meta, vou aproveitar enquanto não começo para caminhar, algo que também gosto.

Colocar as finanças em dia. Entenderam o motivo de estar ligado à questão anterior? Arcar com uma academia não é barato, convenhamos, e as que vi, por mais que me oferecessem a oportunidade de criar um pacote e fazer as atividades que me interessam, estão longe de caber no meu orçamento.

Na verdade tinha tudo certinho, até que entre outubro e novembro, troquei de carro. Quem tem sabe o que isso significa: atualização de valores de seguro, um IPVA cada vez mais absurdo de caro, um DPVAT que a gente paga sem ter retorno (como isso me revolta!), manutenções… É um “filho.

Isso fez com que me desestabilizasse um pouco. Apertei o cinto, cortei bastante os gastos e aos poucos estou me reorganizando. A academia não começará logo após a virada (até porque, para mim, primeiro cuido do bolso, depois do restante), mas ela virá. E 2014 será de contenção de custos. Total e irrestrita.

Imagem: reprodução

Imagem: reprodução

Alimentação. Já tenho o hábito de comer frutas, verduras e legumes, além de ter intensificado a hidratação (estou longe dos dois litros de água diário, mas já cheguei a 1, algo ótimo para quem não bebia nem meio!). Porém, tenho um fraco imenso pelos doces. Se deixar, troco uma refeição pela sobremesa sem pensar duas vezes.

Isso é um perigo, ainda mais após ter começado a trabalhar de casa e a passar mais tempo com o lado italiano da família. Milagrosamente, mesmo sem me exercitar e com o cenário não muito favorável, consegui emagrecer três quilos. Eu pretendo manter um nível saudável no que como.

Essa foto acima me agrada muito (posso atacar as uvas, tipo, já?) e senti falta de abusar desses itens em 2013. Isso não significa que passarei a ser uma daquelas doentes por academia que só consome whey e conta caloria até do ar (detesto isso) e sim cuidar da saúde e fazer melhores escolhas, sabem?

Usar mais, gastar menos. Sempre digo que as coisas nos acontecem por um motivo, porém muitas vezes vemos isso mais tarde. Considero toda experiência positiva, mesmo quando pensamos que não seja. Então o fato de ter passado por um aperto financeiro me fez voltar a ser mais seletiva e a reaproveitar o que já tenho.

Reparei que comprei demais em 2013 e tenho maquiagens e esmaltes para 5 gerações. Não que eu vá deixar de comprar algo e me tornar aquelas pessoas mão fechadas e chatas e sim usar o que tenho. Pretendo repetir alguns esmaltes esse ano, gastar o que tenho até o fim e não comprar por impulso.

Ou seja, minhas metas nem são tão absurdas, né? Depende realmente de mim e da minha força de vontade. Conforme for, atualizo esse post em 1º de janeiro de 2015. Enquanto isso, me contem suas metas? O que vocês pretendem mudar nos próximos 365 dias?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: