Tag Archives: Gordices

Gordice de finde – Fudge de chocolate

4 abr

Oi, gente! Tudo bem?

E já que chegamos a mais um final de semana, vamos à gordice dele, né? Hahahah Se semana passada estava mais “saudável” (se é que posso dizer isso), hoje enfiei o pé na jaca eresolvi fazer algo bem calórico, doce e gostoso. Então o eleito para fazer meu lado formiga feliz é o fudge de chocolate!

01 - Gordice

Mas vamos do começo: uádãréu is fudge? Hahahahah Procurando na Wikipedia, temos a seguinte definição:

“Fudge é um tipo de sobremesa, suavemente doce, às vezes aromatizado com chocolate. A base dele é da mistura do açúcar, da manteiga, e do leite batidos e aquecidos em fogo médio, ganhando uma forma cremosa.”

Ok, não muito bem explicado, né? Eu diria que é um doce cremoso, servido gelado e que tem uma textura muito boa, daquelas que desmancham na boca. Como sou meio preguiçosa, gosto de receitas práticas, fáceis e rápidas. E esse caso é bem assim. Peguei a receita na Uol e fiz exatamente como eles explicam:

Ingredientes

  • 1 lata de leite condensado;
  • 1 pitada de sal;
  • 1 colher de sopa de manteiga sem sal, em temperatura ambiente;
  • 1 colher de chá de essência de baunilha;
  • 2 colher(es) de sopa de chocolate em pó;
  • 500 gramas de chocolate meio amargo picado ou ralado.

Modo de preparo

Creme 1:

Em um recipiente de vidro, coloque o leite condensado, sal, a manteiga, essência e o chocolate em pó. Leve ao micro-ondas e aqueça por dois minutos na potência alta. Depois mexa bem até ficar homogêneo.

Se não tiver ou quiser fazer no micro, dá para misturar na mão, só vai levar mais tempo.

Creme 2:

Em outro recipiente, também de vidro, derreta o chocolate por um minuto e meio no micro-ondas, também na potência forte. Retire e mexa a mistura, até ficar homogênea.

Cuidado que saindo do micro, ele pode ainda ter os pedaços do chocolate, mas se você misturar, ele derrete. Não coloque mais que esse tempo, senão queima. Carla, posso derreter no fogo? Claro, desde que seja em banho-maria, sem deixar que a água entre no recipiente, ok? Chocolate e água não devem ser misturados.

Depois disso, volte o primeiro creme para o micro-ondas por mais um minuto e depois de tirar, misture bem. Junte as duas massas, até que fique um creme grosso e bem consistente.

Despeje em uma assadeira (usei uma de mais ou menos 30 x 20cm) que esteja forrada com papel manteiga (eu, exagerada, untei a forma antes de colocar o papel). Vá alisando com a parte de trás de uma colher, quanto mais liso, mais bonito.

Aí é só levar para a geladeira por no mínimo 6 horas (eu deixei de um dia para o outro) e na hora de servir, cortar ou com aqueles cortadores, ou uma faca daquelas sem serrinha, sabe? Usei aquelas enormes, de pão, porque a Carla é exagerada mesmo. Hahahahaha

Se você quiser um resultado bem profissional, dá para cortar em quadradinhos de 4 x 4 cm, assim ele fica certinho e rende mais ou menos 24 fudges. Fiz para nós aqui em casa, então estou cortando ao olho mesmo.

Parece difícil quando lemos pela primeira vez, mas não é. E para as preguiçosas, como eu, vale dizer que nem suja muita louça! Hahahaha

Gordice de finde – Arroz da Carla

28 mar

Oi, gente! Tudo bem?

E lá vamos nós para mais uma gordice de final de semana. Para vocês não reclamarem que só trago opções de doces, hoje a sugestão é salgada e mais saudável: um arroz da Carla (que pretensão essa minha!).

Olha que bonito, gente:

01 - Gordice

Deixa eu me achar um pouco! Hahahaha! Na verdade batizei o prato dessa forma, porque era para ser uma salada, mas eu nem tinha tudo e acabei adaptando ao que encontrei em casa e o que gostava. E resolvi servir quente, então sobrou pouco do prato original, que encontrei lá na Uol.

Vamos à receita? Para essa panela toda, que rendeu bem, eu usei:

  • 3 xícaras de chá de arroz branco cozido (que havia restado dos dias anteriores);
  • Azeite (eu coloquei um fiozinho na frigideira de antiaderente bem grosso);
  • 1/2 cebola picada;
  • 2 dentes de alho, que piquei bem pequeno, mas deixar em lascas pode ser visualmente interessante;
  • Um tomate sem sementes, picado;
  • 1 lata de milho (escorri e lavei, para tirar o excesso de sal);
  • 1 lata de ervilha (fiz o mesmo que o milho);
  • 2 colheres de sopa de palmito picado, já fervido;
  • Manjericão (mais ou menos um punhado, vai a gosto);
  • sal a gosto.

Modo de preparo

Comecei colocando o azeite, a cebola e o alho. Refoguei até ficar mais murcho, porém sem deixar de ser crocante. Coloquei o tomate e misturei, sem deixar desmanchar. Enquanto isso, fervi o palmito, para evitar contaminação.

Depois disso, coloquei o milho, a ervilha e o palmito, misturando tudo. Desliguei o fogo, coloquei o arroz já cozido e misturei. Na hora de servir, coloquei o manjericão (quanto mais fresco, melhor) e misturei pela última vez.

É uma receita bem tonta, se pensarmos no preparo. Basicamente é colocar tudo junto, mas te garanto que o sabor é incrível. Na receita da Uol eles sugerem tomate cereja e ovos, deve ficar bastante interessante também. E tudo depende do que você tem na sua casa, né? Não sei ao certo quanto rende, mas é bastante, já que são 3 xícaras de arroz, né?

Essa dá até para as preguiçosas fazerem! Hahahaha Semana que vem volto com outra sugestão. E se vocês quiserem participar, o espaço está aberto, ok?

Gordice de finde – Pavê de limão

21 mar

Oi, gente! Tudo bem?

Então vocês gostaram da gordice da semana passada, né? Pois hoje eu trouxe outra, ainda “pior”. Quer dizer, tão gostosa quanto e ainda mais prática, fácil e rápida.

Essa é para quem não tem experiência na cozinha, porque basicamente só se precisa de liquidificador ou batedeira. E dá para adaptar com outras frutas (ainda não testei, mas estou com vontade de fazer de abacaxi, maracujá, uva…), ou seja, totalmente possível brincar com isso.

Pois bem, vamos à receita, que peguei nesse link do IG. Ah, eles dizem que rende quatro porções, mas como vocês podem ver abaixo, o meu rendeu mais:

Visto de cima

Visto de cima

De ladinho

De ladinho

Ingredientes

  • 200g de bolacha champagne (pode ser a sem açúcar mesmo, a mais baratinha que você encontrar);
  • 345g de leite condensado (um pouco menos de uma lata);
  • 150ml de suco de limão;
  • 3 claras;
  • 90g de açúcar refinado (eu troquei as claras e o açúcar pelo Chanti-Neve, para ficar mais leve, fácil e gostoso, mas se você sabe fazer chantilly, vá fundo!).

Calda

  • 100ml de suco de limão (para a receita toda eu usei quase meia dúzia da fruta, mas depende do quanto de suco terá);
  • 100ml de água;
  • 100g de açúcar refinado;

Modo de Preparo

Coloque todos os ingredientes da calda em uma panela, misture levemente e ponha para ferver. Depois disso, deixe esfriar. A calda rendeu bastante, sobrou ainda, então vale lembrar disso. Molhe os biscoitos nesta calda e arrume numa travessa ou refratário.

Como eu estava com preguiça, misturei todos os ingredientes do creme (leite condensado e suco de limão) na mão mesmo, até ficar mais grossinho. Mas dá para fazer no liquidificador. Levei para a geladeira por mais ou menos uma hora e ele ficou durinho. Aí tirei e cobri os biscoitos.

Enquanto isso, bati o chantilly e depois de pronto, alternei as camadas:

– Bolacha umedecida na calda;- Creme;

– Chantilly.

Depois que acabou tudo, voltei à geladeira e na hora de servir, salpiquei um pouquinho de raspas de limão. E pronto, família feliz, gordice feita e Carla satisfeita! Hahahaha

Servidos?

Servidos?

Se vocês fizerem, me contem como ficou!

Gordices de finde

14 mar

Oi, gente! Tudo bem?

Como disse ontem, a partir de hoje nossas sextas-feiras serão representadas por uma nova tag, a Gordices de Finde. Aqui vale dicas de restaurantes, produtos, pratos, receitas e tudo mais que seja fácil, gostoso e prático na culinária. Não esperem muita coisa saudável, até porque como vamos começar o final de semana, que nos preparemos para enfiar o pé na jaca! Hahahaha

Acho que não havia comentado aqui que eu gostava de fazer sobremesas, mas não ia muito frequentemente para a cozinha. Sabem como é, família italiana, a mãe se apodera das panelas e você vai deixando para depois. Até que mommys adoeceu e, do dia para a noite, a Carla passou a controlar o fogão.

O que foi bom porque redescobri esse lado e não me incomodo em exercê-lo (ok, só lavar a louça que ninguém merece). E me peguei revirando os cadernos de receita, vendo programas de TV… Que foi de onde tirei a receita de hoje, vinda lá do chef Felipe Cilli, do programa Mulheres, da TV Gazeta.

Gosto das receitas dele porque são rápidas, práticas, gostosas e sem frescura. A de hoje é bem assim e fez bastante sucesso aqui em casa. Ladies and gentleman, com vocês, a Torta Chocolimão:

01 - Gordice

Mas ficou bonita, hein? Vamos à receita:

Massa:

  • 200g de biscoito de amido de milho;
  • 50g de manteiga (eu usei aquelas de tablete, em temperatura ambiente, para agilizar).

Observação: vai ficar uma massa esfarelenta mesmo, inclusive na hora de cortar. Não se assuste, é normal.

Recheio:

  • 500g de chocolate meio amargo (aqueles de barra. E sim, precisa ser meio amargo, para cortar um pouco o doce do creme de avelã);
  • 1 colher (sobremesa) de manteiga (a mesma da massa);
  • 1 lata de creme de leite (eu usei de caixinha, para não ter que tirar o soro. Deu certo);
  • 2 colheres (sopa) de creme de avelã (aquele do potinho caro, sabem?

Cobertura

  • 1 lata de leite condensado;
  • 1 lata de creme de leite (também usei a caixinha);
  • ½ xícara (chá) de suco de limão (usei o limão fresco e espremi na mão, na hora. Deu um pouco mais de 3 limões);
  • ½ envelope de gelatina incolor e sem sabor;
  • Raspas de limão (opcional, para decorar. Eu não usei dessa vez por preguiça).

Modo de preparo

Crosta:

Triture os biscoitos no liquidificador ou triturador e misture com a manteiga. Forre o fundo de uma forma e leve para assar por 10 minutos em forno médio. Ela fica pronta quando estiver bem douradinha e mais grudadinha.

Recheio:

Derreta o chocolate com a manteiga (eu escolhi fazer no banho maria, mas se você souber fazer no microondas, também pode), acrescente o creme de leite e o creme de avelã. Misture bem e coloque sobre a crosta já assada.

Depois disso, eu levei à geladeira por mais ou menos 30 minutos, para deixar o creme bem duro e firme.

Cobertura:

Prepare a gelatina como a embalagem manda, mas lembre-se que, como é metade, a quantidade de água também será menor. Então bata no liquidificador o leite condensado, creme de leite, suco de limão e a gelatina já hidratada e dissolvida. Bata até misturar bem todos os ingredientes, especialmente a gelatina.

Use esse creme para cobrir a torta e leve à geladeira por, no mínimo, uma hora. Se quiser decorar (melhor fazer quando servir), pode colocar as raspas de limão ou fatias bem finas da fruta.

Cortada ela fica assim:

02 - Gordice

O recheio fica bem durinho, mas dissolve na boca, enquanto o mousse fica firme. Eu disse que coloquei suco de uns 3 limões, mas se você gosta do sabor dele mais forte, pode aumentar (eu vou fazer isso da próxima vez). Não contei quanto rendeu, calorias e afins, mas aqui em casa acho que deu ao menos uns 10 pedaços, fazendo o lado gordo de todos bastante feliz!

Desculpem as fotos meio amadoras, porém acho que atingi o objetivo de deixá-los com vontade, né? Semana que vem trago mais uma gordice! Ah, fiquem à vontade para comentar, perguntar, criticar e sugerir pratos ou ideias!

Comprinhas na Liberdade – Gordices

29 out

Oi, gente! Tudo bem?

Algumas semanas atrás, fui com a Fernanda, do blog O Babado, à Liberdade. Para quem não conhece, é um bairro da cidade de São Paulo, conhecido como o maior reduto da comunidade japonesa no país e que também abriga a maior colônia nipônica brasileira. Fica ali na região da Sé, bem no centro da cidade.

Se você quiser saber mais sobre a Liberdade, aconselho a visitar o portal do bairro e também a descrição do local no Wikipédia. Gosto muito de ir lá porque é fácil chegar e você se sente mergulhado na cultura oriental mesmo (incluindo a chinesa, a coreana e até mesmo a de Taiwan). Tem nome de banco em japonês, as luminárias típicas, roupas, comidas, objetos, jardins, decoração…

E para quem gosta de fazer compras, pode ser uma ótima oportunidade de trazer itens típicos e cosméticos, já que por lá encontramos duas unidades da conhecida e tradicional Ikezaki, além de lojas como a Audrey e a Ludovicus. Como a Liberdade por si só merece vários posts, resolvi separar o que trouxe de lá em uma série, assim ninguém se cansa, né? Hoje trago as gulodices que trouxe (e estreio uma tag nova, só para gordices). No próximo, falamos de beleza, ok?

Acabei comprando tudo no mesmo lugar, mas como parte das coisas são bem típicas ou encontradas somente na Liberdade, vale o destaque:

01 - Liberdade

Lá na Marukai, uma espécie de mercadinho só de itens asiáticos ou orientais, encontrei todos esses itens. Não sou a mais apaixonada por comida japonesa (mas adoro a chinesa), embora minha curiosidade pelo tema e a criatividade deles me cative. Então acabei comprando tudo isso lá.

02 - Liberdade

Ok, Skittles nem é nada absurdo, né? Mas vocês não têm noção do quanto amo essa balinha e ela faz parte da minha infância! Aqui em São Bernardo não a encontro com facilidade e quando a vejo, o preço está bem acima do normal. Prefiro a embalagem vermelha, tradicional, mas estava em falta e como sou a louca dos doces, trouxe as duas para experimentar.

Cada uma custou R$ 4,30 (eu sei, ainda é caro), enquanto em outros locais costumo ver por ao menos R$ 6,00. Entre os dois pacotinhos, gostei mais do Tropical. Aliás, ficou ainda mais gostoso consumindo depois de tirar da geladeira, acho que ficou mais fresquinho e cortou o super doce da bala. Mas agora quero testar com as outras versões! Hahahaha

03 - Liberdade

Olhem que legal. O BomBom, essa latinha da esquerda, é um suco de uva Itália. Suco mesmo, nada de refrigerante. E tem pedaços! hahahaha Até coloquei em um copo para ver, o líquido fica totalmente transparente e são partes da fruta mesmo, como na embalagem. Duvido que deva ser isento de conservantes e afins (só depois que reciclei a lata me lembrei de ver), mas achei o gosto bom e levinho.

O engraçado foi que tinha duas versões, como escrito na embalagem: com e sem pedaços. Fiquei cismada e optei pela segunda, mas ainda assim tem. Ou seja, nunca acredite somente na lata! hahahaha Paguei R$ 2,00, o que considerei justo e vem 238ml. Não sei dizer onde mais ele pode ser encontrado, infelizmente.

Já o da direita foi minha surpresa. Não dava nada pelo Lychees, que é suco de lichia, até porque nem é minha fruta predileta. Comprei por total curiosidade mesmo e adorei. Muito melhor que o BomBom, fresquinho, doce na medida, com gosto da fruta mesmo. Claro, deve ser artificial também, mas nessas horas, who cares?. O Lychees tem 320ml na lata e custou R$ 2,50. Se soubesse que ia gostar tanto, tinha trazido muito mais!

04 - Liberdade

Já contei que sou curiosa, né? Mas olhem bem, tem como não amar as embalagens da Koala’s March? Que coisa mais fofa! É uma bolacha produzida pela Lotte e lançada no Japão. Nos Estados Unidos chegou só em 1984. O biscoito tem formato de coala e diferentes sabores, como mel, leite, café, abacaxi e banana. Os mais comuns são os que comprei (únicos disponíveis na Marukai): chocolate e morango, sendo estes também os únicos disponíveis nos EUA, além de uma versão com cookies de chocolate.

O legal é que a Koala’s March apoia a Australian Koala Foundation, que lida com a preservação do animal no continente. Achei neste blog um pouco mais de informação sobre os produtos também. Aí que trouxe só uma embalagem de cada porque fiquei com receio de ser artificial demais e não gostar.

Tonta eu, porque ao colocar uma unidade de chocolate na boca, bateu total arrependimento de não ter comprado um bom estoque. Meu Deus, que delícia! A casca é levemente adocicada, crocante e fininha e o recheio, super cremoso, daqueles que derretem na boca, sabe? Muito diferente e delicioso!

Paguei, com dor no coração, R$ 4,10 em cada caixinha, mas já soube que em outros locais pode ser encontrado com preços que vão até SETE REAIS! Muito caro, né? Não sei se teria essa coragem…

05 - Liberdade

Acho que nunca contei aqui, mas minha mãe nasceu em São Paulo. Antes de se casar, ela fez um curso de cabeleireira lá na Liberdade, então conhece bastante do bairro (imaginem mommys, ruiva, com sardas, olhos verdes e total descendência italiana e espanhola, no meio dos japoneses, em plena década de 60/ 70? Hahahahaha).

Fui com ela no bairro algumas vezes e desde que nasci ela fala que ama um doce oriental, o fukashi manju. Esses bolinhos brancos acima são feitos de farinha de trigo, sal, açúcar, ovos, óleo e outros ingredientes e tem recheio de feijão! Sim, feijão! Nem me perguntem o gosto, ainda não tive coragem de experimentar, é surreal demais para mim. Hahahaha

Paguei R$ 5,40 nesse pacote com 280g, o que achei bem caro. Mas como aqui em SBC é impossível encontrá-lo e queria agradar a formiga-mor de casa, trouxe. Ela adorou e em uns 3 dias acabou com a embalagem. hahahaha O mais engraçado é que já conversei com alguns orientais e eles não gostam de mandju. A Bete, que colabora aqui, chama a sobremesa de “doce para ocidental” (Bete e seu humor único).

Na Marukai comecei a conversar com uma senhora (e óbvio, me esqueci de perguntar seu nome) e ela também não gosta. O que será que esse doce tem que cativou mommys a esse ponto? Hahahaha Acho que na próxima vez experimento, fiquei bem curiosa em testar o famoso mochi/ moti também.

Para quem gosta de cultura oriental e de sua gastronomia, vale muito a pena tirar ao menos uma tarde para conhecer a Liberdade. O acesso de metrô é o mais fácil, há uma estação bem no meio do bairro. Grande parte das lojas fica na região da rua Galvão Bueno, na própria avenida da Liberdade ou na rua dos Estudantes.

Vai também um servicinho:

Marukai

Rua Galvão Bueno, 34

Liberdade – SP

Telefone: (+55xx11) 3341-3350

Padaria Itiriki (almocei lá, o buffet típico é bom, os pratos a la carte estavam bem bonitos. Agora quero testar o kare pan assado e o suco de pobá)

Rua dos Estudantes, 24 (pertinho da unidade do Bradesco, quase na frente da estação Liberdade do metrô – Linha 1, azul)

Liberdade – SP

Telefone: (+55xx11) 3277-4939

– Restaurante Chi Fu

Praça Carlos Gomes, 200 (pertinho da Ikezaki nova)

Liberdade – SP

Telefones: (+55xx11) 3101-8888 e (+55xx) 3112-1692. É algo bem tradicional, de mesa redonda grande, cardápio em chinês, atendentes que pouco falam a nossa língua, tudo servido em cumbucas e sem garfo e faca. Como é mais para comida chinesa (ou de Hong Kong), então prepare-se para pratos um pouco mais gordurosos. Eu já pedi frango xadrez e o chop suey e para mim estavam ótimos. Serviu duas pessoas (Bete e eu) e dá para trazer o que sobrou para casa. Não me lembro do preço, mas não era caro e só aceita pagamento em dinheiro. Há resenhas AQUI e AQUI.